1 de março de 2009

Solitude...




e foi assim,
que o veneno tocou meus lábios...
minha vida lentamente
esvaindo-se em seu último abraço...
assim, eu idealizei meu último
momento;
a doçura do seu beijo amargando
lentamente meu último lapso de vida...
o calor do seu abraço
trazendo lentamente o frio
atordoante para minha
alma...
o vislumbre dos seus olhos
penetrando meu último
lapso de consciência...
foi assim,
que conheci a traição...
o vislumbre da última visão:
Seu belo sorriso de satisfação;
meu corpo amortecendo lentamente,
e a adaga em suas mãos...


Sem Mais,

Fernando Muniz.

6 comentários:

  1. SEm mais palavras...vc as vezes consegue traduzir oq as pessoas sentem sem ao menos ve-las

    ResponderExcluir
  2. Amei as coisas q vc escreve e tem um selinho pra vc lá no meu blog!

    ResponderExcluir
  3. Ficou meio que uma poesia vampírica. Adorei~~

    ResponderExcluir